quarta-feira, 30 de maio de 2012

Um pouquinho de baianês..

QUE PORRA É ESSA?


Depende. Se procurarmos no dicionário o significado da palavra “porra”, não a encontraremos. Seja qual for o seu significado, “O bom negro e o bom branco” da nação baiana, saberá usá-la com supremacia.

Adentrando a língua Portuguesa, encontraremos a “porra” como interjeição: PORRA... Alguém está bestificado com algo; Já o QUE PORRA! Demonstra alguém chateado com algo. Mesmo sem possuir um prévio conhecimento da Gramática normativa, é comum presenciar as pessoas atribuindo várias funções sintáticas à palavra “porra”. Como adjunto adverbial, por exemplo, pode indicar lugar: FULANO,VÁ PRA PORRA! Isso quando não damos à porra uma família (com endereço fixo e tudo mais): FULANO, VÁ PRA CASA DA PORRA!


A porra é tão essencial em nossas vidas quanto um sujeito é para a oração, por isso mesmo a porra pode ser também, o sujeito: A PORRA QUEM VAI LÁ, NÃO EU... e quando o nosso humor não está muito bom, a porra transforma-se em predicativo do sujeito: VOCÊ É UMA PORRA! Então a vítima se defende: PORRA NENHUMA..., ou seja, “eu não sou uma porra”, ouvir um PORRA NENHUMA, é o mesmo que ouvir um não. A porra pode ser, também, um objeto direto: NÃO SEI QUE PORRA VOCÊ VEIO FAZER AQUI... e como vocativo, a porra é implacável: PARE COM ISSO, PORRA! Até os torcedores tricolores mais fanáticos a incorporou: UMBORA BAÊÊÊA, PORRA!! A porra vira algo importante quando ela é a pauta de uma reunião: FULANO, O QUE O CHEFE DISSE NA REUNIÃO ONTEM? AH, NADA DE MAIS, FALOU UM MENTE DE PORRA AÍ... É impressionante.



O interessante é que independentemente do contexto, o ouvinte entende o que o locutor quer dizer. É muito peculiar a forma com a qual o baiano se comunica através da porra. Qualquer coisa pode ser uma porra, e dependendo de quem a emprega, pode inclusive materializa-la, já que, até então, a porra era algo abstrato. Alguns, por exemplo, transformam a porra em documento: FUI AO INSS, ME MANDARAM LEVAR UM MONTE DE PORRA LÁ... Pode ser também algo oculto, desconhecido inclusive pela pessoa que a pronuncia: UMBORA MINHA PORRA!! (e com euforia...). A depender do momento, você intitula qualquer objeto como porra: DEIXE ESSA PORRA AÍ, VIU? Ou então: VOU METER A PORRA EM VOCÊ!! Outros ingerem a porra como comida ou bebida: COMA LOGO ESSA PORRA, MENINO! Ou então: BEBEU CERVEJA E AS PORRA, HEIN???!!! E por aí vai.


A versatilidade dessa palavra é de impressionar, e assim como esta, também outras são assim, utilizadas corriqueiramente, substituindo as expressões mais complicadas. É mania. Vício. Torna-se mais fácil se expressar. O fato é que esse termo tomou conta do linguajar baiano e não tem intenção de sair. Não importa que porra seja essa, o que importa é o uso, o entendimento, a conversação. A única dúvida que ainda temos sobre isso é a seguinte: DE ONDE TERÁ SURGIDO ESSA PORRA???



(Sâmara Azevedo®, 2005)

0 comentários:

Postar um comentário